O Mergulhador – Vinicius de Moraes

E il naufragar m’è dolce in questo mare
Leopardi

Como, dentro do mar, libérrimos, os polvos
No líquido luar tateiam a coisa a vir
Assim, dentro do ar, meus lentos dedos loucos
Passeiam no teu corpo a te buscar-te a ti.

És a princípio doce plasma submarino
Flutuando ao sabor de súbitas correntes
Frias e quentes, substância estranha e íntima
De teor irreal e tato transparente.

Depois teu seio é a infância, duna mansa
Cheia de alísios, marco espectral do istmo
Onde, a nudez vestida só de lua branca
Eu ia mergulhar minha face já triste.

Nele soterro a mão como a cravei criança
Noutro seio de que me lembro, também pleno…
Mas não sei… o ímpeto deste é doído e espanta
O outro me dava vida, este me mete medo.

Toco uma a uma as doces glândulas em feixes
Com a sensação que tinha ao mergulhar os dedos
Na massa cintilante e convulsa de peixes
Retiradas ao mar nas grandes redes pensas.

E ponho-me a cismar… – mulher, como te expandes!
Que imensa és tu! maior que o mar, maior que a infância!
De coordenadas tais e horizontes tão grandes
Que assim imersa em amor és uma Atlântida!

Vem-me a vontade de matar em ti toda a poesia
Tenho-te em garra; olhas-me apenas; e ouço
No tato acelerar-se-me o sangue, na arritmia
Que faz meu corpo vil querer teu corpo moço.

E te amo, e te amo, e te amo, e te amo
Como o bicho feroz ama, a morder, a fêmea
Como o mar ao penhasco onde se atira insano
E onde a bramir se aplaca e a que retorna sempre.

Tenho-te e dou-me a ti válido e indissolúvel
Buscando a cada vez, entre tudo o que enerva
O imo do teu ser, o vórtice absoluto
Onde possa colher a grande flor da treva.

Amo-te os longos pés, ainda infantis e lentos
Na tua criação; amo-te as hastes tenras
Que sobem em suaves espirais adolescentes
E infinitas, de toque exato e frêmito.

Amo-te os braços juvenis que abraçam
Confiantes meu criminoso desvario
E as desveladas mãos, as mãos multiplicantes
Que em cardume acompanham o meu nadar sombrio.

Amo-te o colo pleno, onda de pluma e âmbar
Onda lenta e sozinha onde se exaure o mar
E onde é bom mergulhar até romper-me o sangue
E me afogar de amor e chorar e chorar.

Amo-te os grandes olhos sobre-humanos
Nos quais, mergulhador, sondo a escura voragem
Na ânsia de descobrir, nos mais fundos arcanos
Sob o oceano, oceanos; e além, a minha imagem.

Por isso – isso e ainda mais que a poesia não ousa
Quando depois de muito mar, de muito amor
Emergindo de ti, ah, que silêncio pousa
Ah, que tristeza cai sobre o mergulhador!

Ritmo

“You don’t have to be beautiful to turn me on

I just need your body, baby, from dusk ‘till dawn (…).”

Kiss – Price

            Esse movimento sinuoso, amplo e ritmado acentua suas curvas e sequestra meu olhar. Sua concentração e força gestual me invadem. Essa coreografia sui generis traça a personalidade da sua alma e faz de mim seu oráculo. Seu sorriso coreografado me encanta. Dança que entrelaça céu e inferno, amor e paixão, corpo e alma. Transborda meu desejo de suor molhado ardente, incendeia meu sexo no seu balanço. Perdido, sussurro cobiça. Não me escape, quero seus lábios colados a minha pele egoísta. Quero aprender seu corpo no tato, senti-la, tatuá-la na minha memória durante esse momento infinito. Quero dominá-la ao chão e num compasso musical conquistar a sua essência. Devorá-la em cumplicidade harmônica até o fim da melodia. E em explosão de prazer confirmo a existência…

D.

Dildos e Plugs

Os Dildos são brinquedos sem vibrações. A forma do brinquedo desempenha o principal papel na estimulação. Os dildos curvos estimulam o ponto G, ou a próstata pelo ânus ou podem ser usados como strap-on (cinta acoplada ao dildo) para jogos com parceiros. Se você quiser ter mãos livres e olhar para a experiência sexual, opte por um brinquedo com ventosa. Dildos em forma realística são visualmente emocionantes e podem criar sensações muito concretas.

Dildos de Ponta Dupla

Dildo de ponta dupla em geral não tem base e é formado por duas pontas arredondadas para estimulação vaginal e anal, podendo ser usado com o parceiro ou sozinha. Também é possível associar dois dildos de silicone em uma cinta dupla. Se o contato genital é desejado entre os parceiros, o ideal seria acoplar 2 dildos na cinta, no entanto, o movimento fica limitado porque eles tendem a sair. Se desejar mais movimentos e variedade de posições, então um dildo duplo é necessário, embora o contato genital seja mínimo.

Dica: A maioria das usuárias procura por dildos duplo em gel.

Dildos e Cintas

Tradicionalmente, as cintas penianas são usadas pela mulher para penetrar seu parceiro ou sua parceira. Homens, no entanto, podem usar um dildo e cinta para dar a suas parceiras estimulação anal enquanto fornecem estimulação vaginal.

As cintas tem um anel central para adicionar o dildo. A aba na base do dildo tem que ser maior que o anel na cinta para que o dildo fique no lugar. Em geral, as cintas de couro são de melhor qualidade, têm prendedores para segurar as faixas, podendo ser ajustadas facilmente e não se soltar ou deslizar. Também existem cintas em forma de calcinha ou cueca, de pano, látex ou vinil, que promovem maior ajuste ao corpo, mas dificulta o toque da área genital da usuária.

Plug Anal

É um estimulante poderoso para garantir ainda mais prazer na prática do sexo anal – tão temido por algumas pessoas. Ele é encontrado em diversos tamanhos e formatos, e pode ser usado para preparar o ânus do parceiro para a penetração, além de diversas outras brincadeiras.

O plug é um dos brinquedos sexuais ideais para iniciar a prática do sexo anal e é menor e mais discreto que um vibrador anal. Normalmente, tem sempre um fio ou um anel de segurança numa das extremidades para que seja retirado com facilidade e evitar que o brinquedo deslize completamente pelo canal do reto.

A sua ponta delgada permite uma penetração suave dilatando lentamente o ânus. Na penetração do plug, à medida que se amplia, maior é o prazer. Geralmente, estes brinquedos são pequenos com um diâmetro de 4 centímetros, ainda que os possa encontrar mais alongados e mais grossos.

O plug anal serve tanto para a masturbação como para brincadeiras com o parceiro. É adequado a mulher e ao homem que goste de desfrutar de estimulação anal.

Antes do uso deve sempre ser lavado com água morna e sabão neutro. Comece por estimular o ânus para relaxar e para se excitar. Lembre-se que o ânus não tem lubrificação natural, por isso é aconselhável usar um lubrificante à base de água para que esta brincadeira seja mais prazerosa.

Deve estar relaxado (a) para poder desfrutar deste brinquedo sexual. Se nunca teve experiência com o sexo anal esse brinquedo é ótimo para iniciantes. Uma vez que lubrificou o plug, introduza primeiro a ponta e em seguida o restante gradativamente.

Após usar o plug anal lembre-se de lavá-lo novamente com água morna e sabão neutro para protegê-lo. É aconselhável não partilhar este brinquedo com os seus parceiros casuais para evitar doenças sexualmente transmissíveis, a não ser que use uma camisinha por cima do brinquedo.

Se você experimentou o brinquedo erótico, mas não se sentiu confortável para continuar a brincadeira, tente variar um pouco mais as sensações durante a penetração com o parceiro. Vale usar e abusar de camisinhas texturizadas.  As mulheres que estão no nível avançado do sexo anal vão se divertir com os produtos feitos para dupla penetração, ou até com o homem usando uma cinta peniana.

Dica: Utilize sempre um bom lubrificante à base d’água durante o uso do plug, para aliviar as tensões musculares da região e tornar o sexo anal ainda mais gostoso.

Qualidade dos Materiais

Todos os acessórios sexuais são feitos de materiais seguros para o uso, no entanto, as características de estimulação, conforto e higienização variam entre eles.

Silicone

Tem superfície não porosa, logo, não absorve bactérias, poeira ou odores. Não se desfaz com a fricção. É hipoalergênico, pode ser usado por consumidores sensíveis ao látex. Pode ser fervido para esterilização (em torno de 4 minutos) e mantém o calor corporal. Pode ser aquecido em recipiente com água morna antes da relação sexual. Dá uma sensação mais natural e, portanto tende a ser mais confortável, além de não ter cheiro ou gosto. O silicone também é ótimo transmissor de vibrações, logo um poderoso estimulador.

Jelly

É como uma borracha bem flexível e macia, de aspecto gelatinoso, muito mais confortável que os brinquedos tradicionais feitos de plástico duro, ainda que não tenha a mesma qualidade do silicone. Esses brinquedos são porosos e difíceis de limpar corretamente, a higienização deve ser feita com sabão neutro e água morna. Outro problema é que o gel não retém calor facilmente e tende a conservar um odor de borracha. O gel tende a absorver as vibrações e, portanto, é menos estimulante que o silicone e o plástico. Também podem conter agentes químicos chamados ftalatos, substâncias que  podem causar problemas de saúde em estudos de laboratório. Com isso, é importante usar preservativo para a inserção de jelly na vagina ou ânus.

Látex (borracha natural)

É macio, mas não é maleável (não se dobra). Não é indicado para alérgicos a látex. O látex também é muito poroso, o que torna o brinquedo menos resistente e difícil de limpar adequadamente. Portanto, você deve usar preservativos em seus brinquedos se você compartilhá-los com parceiros ou utilizá-los para a penetração vaginal e anal. Após o uso, lave-os bem com água e sabonete antibacteriano enxaguando até que não fique nenhum traço de sabão. O sabão pode degradar o material e irritar sua pele.

Vinil Macio

É menos poroso, dura mais do que brinquedos de jelly, e menos que os de silicone. É  extremamente macio e flexível , mas também resistente. É um ótimo material para a transmissão de vibração. Não pode ser completamente desinfectado, portanto é indicado o uso de preservativos. A limpeza pode ser feita com sabonete anti-bacteriano e água.

Plástico Duro

É pouco flexível e não é recomendado para uso interno. Suas superfícies duras causam desconforto em alguns dos consumidores. Por esta razão, recomenda-se que sejam apenas usados como estimuladores externos. As vibrações não são absorvidas como nos vibradores de gel, fazendo deles fortes estimuladores.

Cyberskin

Estes brinquedos são conhecidos por sua aparência e textura realística. São macios, suaves e flexíveis, muito parecidos com a pele humana. Eles também são muito porosos, de difícil limpeza e não podem ser esterilizados. Como os jelly, eles podem conter ftalatos, portanto o uso de preservativo é indicado. A limpeza pode ser feita com sabonete anti-bacteriano e água, após secagem com papel toalha recomenda-se revestir o brinquedo de amido de milho.

Vidro

O vidro pode oferecer sensações de prazer diferentes, pois pode ser aquecido e também resfriado.  Não é poroso, mantém a temperatura muito bem, e é extremamente suave. Não contém ftalatos e é fácil higienização com sabão antibacteriano e água. Pode até mesmo ser esterilizado.

Metal

Não é poroso, geralmente bastante suave e livre de ftalato. É de fácil higienização com sabão anti-bacteriano e água morna. Pode ser esterilizado.

Ftalatos

* Os ftalatos são um grupo de compostos químicos derivados do ácido ftálico, tal como o cloro ftalato, utilizado como aditivo para deixar o plástico mais maleável. Tal grupo de compostos é tido como cancerígeno, podendo causar danos ao fígado, rins e pulmão, além de anormalidade no sistema reprodutivo. No Brasil, ainda não existem leis que regulamentem o lançamento dos ftalatos no meio ambiente. Nos EUA ainda não há uma legislação de restrição ao uso de ftalatos, e a Comunidade Europeia, como medida preventiva, determinou a retirada desse componente.

 

Fontes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81cido_ft%C3%A1lico

História dos Vibradores

“Quando estes sintomas estão presentes, é necessário pedir uma parteira para ajudar, para que ela possa massagear os órgãos genitais com o dedo, usando óleo de lírios, raiz de almíscar, açafrão, ou [algo] similar. E deste modo, a aflição da mulher pode despertar o paroxismo. Este tipo de estimulação com o dedo é recomendado por Galeno e Avicena, entre outros, mais especialmente para as viúvas, aquelas que vivem uma vida casta e religiosa, como Gradus [Ferrari da Gradi] propõe; é menos frequentemente recomendado para mulheres muito jovens, mulheres públicas, ou as mulheres casadas, para quem o melhor remédio é se envolver em relações sexuais com seus cônjuges.”

Compêndio médico
Compêndio médico intitulado Observationem et Curationem Medicinalium ac Chirurgicarum Opera Omnia, com um capítulo sobre as doenças das mulheres – 1653

Durante o século XIX, a ansiedade, a irritabilidade e a insônia eram reclamações frequentes de mulheres em consultórios psiquiátricos. Entre os médicos, o diagnóstico mais comum era de histeria, uma doença psíquica. A “massagem pélvica” era comum no tratamento da histeria feminina na Grã-Bretanha durante a era vitoriana (1837-1901), e o objetivo da manipulação era causar “paroxismo histérico” (orgasmo) na paciente. Com as mãos, o médico massageava o clitóris da paciente até ela atingir o orgasmo e ficar mais calma. A “estimulação vulvar” não era relacionada ao sexo, e era considerado pelos médicos um trabalho demorado e cansativo.

Massagem médico
Um dos primeiros vibradores foi chamado de ‘Tremoussoir’ inventado na França em 1734.

O primeiro vibrador movido a vapor, chamado de “manipulador”, foi inventado pelo médico americano George Taylor em 1869. Esta máquina era um dispositivo estranho, mas ainda assim foi anunciado como algum alívio para os médicos que sofriam de fadiga nas mãos pela masturbação.

Por volta de 1880, o Dr. Joseph Mortimer Granville patenteou um vibrador eletromecânico, movido a manivela. O filme de ficção histórica “Hysteria” apresenta a história do vibrador com foco na invenção do Dr. Granville.

Modelo mais básico fabricado pelo Doutor Macaura em 1890
Modelo mais básico fabricado pelo Doutor Macaura em 1890. Como não era elétrico, o aparelho precisava de giro manual.

Em 1902, a empresa americana Hamilton Beach patenteou o primeiro vibrador elétrico disponível para venda ao consumidor em oposição ao uso médico, tornando o vibrador um objeto doméstico, mas não eram brinquedos sexuais. Logo se tornaram extremamente populares, com anúncios em revistas.

Vibrador elétrico
Vibrador elétrico
Revistas
Propagandas em revistas

Desapareceram na década de 1920, aparentemente por estarem presentes em filmes pornográficos e a sua imagem ganhou uma conotação sexual. Aos poucos, os brinquedos foram sendo proibidos pelos maridos e as propagandas em revistas e jornais começaram a desaparecer. O remédio virou fetiche.

Ressurgiu devido à revolução sexual da década de 1960. Em 30 de junho de 1966, Jon H. Tavel solicitou patente para o “Vibrador elétrico sem fio para uso no corpo humano”, inaugurando o vibrador pessoal moderno. Logo passou por melhorias como opções de velocidade e adaptação para peça única, tornando-o mais barato para fabricação e fácil de limpar.

Vibrador elétrico 2

Após 1980 vibradores tornaram-se cada vez mais acessíveis ao público, especialmente depois de agosto 1998, quando no episódio da HBO, “Sex and the City”, a personagem Charlotte se torna viciada em um “rabbit” (vibrador em forma de coelho) e também depois do filme brasileiro “De pernas para o ar” (2010), que conta a história de duas empresárias que descobrem os brinquedos sexuais e passam a investir no ramo de “sex shop”.

Fontes:

http://super.abril.com.br/blogs/historia-sem-fim/primeiro-vibrador-da-historia-era-terapeutico-e-movido-a-vapor-conheca-a-historia-objeto/

http://www.abeme.com.br/2013/07/sexualidade-e-saude-a-verdadeira-historia-do-vibrador/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Vibrador_(sexo)

O Beijo

                O Dia do Beijo é comemorado em 13 de Abril. O beijo é o toque dos lábios em outra pessoa ou objeto. Na cultura ocidental é considerado um gesto de afeição. Entre amigos, é utilizado como cumprimento ou despedida. O beijo nos lábios de outra pessoa é um símbolo de afeição romântica ou de desejo sexual – neste último caso, o beijo pode ser também noutras partes do corpo. Ainda há o chamado beijo de língua, em que as pessoas que se beijam mantêm a boca aberta enquanto trocam carícias com as línguas.

Informações Interessantes sobre o Beijo

  • Todas as nossas ações gastam energia e com o beijo, dependendo da intensidade, você pode gastar de 3 a 5 calorias por beijo.
  • Os beijos fortalecem os músculos da boca e bochecha. Durante um beijo 30 músculos diferentes são exercitados.
  • O beijo cria vínculos de emoção, isso faz com que você se lembre da pessoa. Por isso muitos dos que não querem manter uma relação duradoura evitam o beijo. O caso retratado no filme Uma Linda Mulher é bem comum entre as prostitutas, que evitam o beijo para não criar laços com seus clientes.
  • Pesquisas indicam que as mulheres tem a capacidade de realizar uma avaliação do parceiro durante um beijo, e que através dessa avaliação perceber se aquele será um relacionamento curto ou de longo prazo.
  • No caso dos homens, os beijos são mais sexuais e servem para o preparo para o ato sexual, apesar de que apenas o beijo não signifique sexo.
  • Apesar de se acreditar que o beijo após o sexo geralmente é uma iniciativa feminina, pesquisas indicam que normalmente é o homem que se dispõe ao ato de carinho pós-sexo.
  • As bactérias trocadas durante um beijo podem fortalecer o seu organismo, uma vez que ele vai ter que criar anticorpos para combatê-las, deixando-o mais forte.
  • O beijo libera substâncias relaxantes e calmantes e ajuda o nosso corpo a melhorar o nível de estresse.

                Existem vários tipos de beijo como o Francês que é o beijo de língua tradicional e o mais comum. Beijos na testa são em sinal de respeito, geralmente entre família ou amigos. O beijo no rosto demonstra amizade, o beijo Selinho praticado entre amigos ou pessoas que tenham afeto pelo outro.

                Podemos criar um novo tipo de beijo em substituição ao sexo oral? Por que não um Beijo Sexual?

Fontes: http://www.calendariobr.com.br/dia-do-beijo#.Vw5FSPkrLI

https://pt.wikipedia.org/wiki/Beijo

Fiscalização

    Subitamente, no final da rua, ao contornar a curva rompem sirenes e lanternas. Luzes ofuscantes invadem meu automóvel. Holofotes. Por trás das lanternas o físico estonteante policial me atrai. Aproxima-se. Sua nuca transpirada frente aos meus lábios molhados. Oportunismo. Sussurro ao seu ouvido uma fiscalização meticulosa. Num instante, ouço sua respiração ofegante, ávida e fugaz em tom de cumplicidade. Suor. Minha imagem invade e se reflete como brilho dos seus olhos. Ordenada a sair lentamente do carro para a inspeção, obedeço. Ao seu parceiro, resta o isolamento local. Silêncio em sintonia. Dou as costas e suas mãos me transpõem deliciosamente. Lambuzo-me. Entre minhas coxas percorre seu cassetete, ganhando calibre. Barba e nuca, excitação, estou sob seu comando, mãos para trás, algemas. Seus músculos contraídos me transportam para o capô. Entrelaço minhas pernas em seu tronco. Botões ao chão. Embebedo-o com licor de meus seios. Admiro sua potencia. E num rompante me invade em compasso animal sem obstáculos. Pernas trêmulas. Erguida, sou intencionalmente debruçada sobre o carro. O perfume amadeirado mais próximo, o gentil amasso ordenhado, o afago clitoriano anunciam o momento seguinte. Afasto ligeiramente as pernas como um gesto permissível. Delírio. A morosidade me faz implorar. Devore-me. Quanto mais profundamente me penetra mais escorro em desejo e medo. Apertado. Dedilho seu sexo no meu íntimo até completa explosão de prazer. Repreensão nada ilícita.

                                                                                                                                    D.

Pecado

     Anoitece. Sussurro por instinto meu pecado, luxúria. Experimento seus lábios molhados e percorro seu corpo nu explorando-o meticulosamente. Quero me saciar com seu delicioso gosto ardente, te engolir. Titila vagarosamente minha intimidade. Sinto suas digitais em meu âmago. Meu medo me consome e me arrepio. Acaricia-me, de jeito quase tântrico. E meus joelhos vão se dobrando para a penetração profunda até o completo descontrole. Devora-me. Entre as minhas pernas encaixe a sua volúpia. Abuse-me. Quero me embebedar no licor de seus peitos e lambuzada de prazer quero suas vontades. Grito, abstração, clímax, num instante sempre infinito me extingo dentro de você. Divino. Entrelaçando as almas copulamos como libélulas, engendrando corações desmedidos. Por fim, desejaria correr demasiadamente, e transportar as sete cores da estrela mais distante, guardadas a sete chaves na minha essência. E assim a iluminaria com a plenitude do meu amor…

                                                                                                                                  D.

Caçada

     Sorrateiramente designo o alvo com fixação em meio a taças, inúmeros timbres vocais ritmados ou não, fumaça e ambição. Seu reflexo brilha intimamente dentro dos meus olhos. Enrijeço. Mesmo rodeada de risos conhecidos, a criatividade satânica da presa identifica o ataque, contorna a taça de vinho tinto molhando as digitais e mantém o lábio preso entre os dentes, cruza ligeiramente as pernas exibindo-as, expõe medo e vontade em gestos decifráveis. Olhares simultâneos, obsessivos preveem os minutos seguintes. Silêncio em suas mentes, concentração somente no ataque. Sou impulsionado pelas batidas cardíacas galopante, sem escrúpulos. Atraído pelo olfato crescente de perfume aroma flor de lótus. Com toda a minha força a agarro, finco meus dentes em seu pescoço nu. Escorre saliva e cobiça. Gemidos e lambidas íntimas aumentam meu calibre. Seu corpo amolece entregue as minhas garras. Mato minha sede no seu sexo. Rolamos ao solo em luta entrelaçando nossos físicos até o encaixe mais perfeito. Ao som de grunhidos calorosos, selvagens e potentes, num compasso animal devoro a sua excitação. Quero penetrar seu corpo desejando um ser único. Jatos e contrações se sincronizam. Como predador violo e roubo espaço em sua memória, sem despedidas.

                                                                                                                            D.